AZEVEDO, RAQUEL DE. A resistência anarquista: uma questão de identidade (1927-1937).
Article mis en ligne le 16 de Outubro de 2003
dernière modification le 29 de Março de 2004
logo imprimer
Enregistrer au format PDF

Mestrado

Orientador: MARIA LUIZA TUCCI CARNEIRO

Data da defesa: agosto 1996

IFCH/UNICAMP

RESUMO

Procuramos demonstrar a sobrevivência dos sindicatos e grupos libertários entre 1927 e 1937 no Brasil, buscando traços de continuidade com sua intensa atividade no início do século. Em meio a acirrados conflitos com outras correntes ideológicas, com sindicatos oficiais e com a repressão policial, verificamos como esta resistência se processava através das formas de organização autônomas e de atividades artísticas e educativas. Analisamos o discurso, as imagens e as festividades utilizados como recurso para a afirmação de uma identidade que remontava aos primórdios do movimento operário. Como fatores característicos dos anos 30, abordamos o combate dos sindicatos libertários à legislação trabalhista e à intervenção do Estado nas lutas operárias, opondo-se à formalização dos direitos e reafirmando a estratégia da greve como forma de ação direta. Contrastamos as imagens e formas de ação que compunham a identidade libertária com aquelas difundidas pela grande imprensa e pelos DOPS que enfatizavam os estereótipos do anarquista agitador e violento.

Arquivo Edgard Leuenroth


pucePlan du site puceContact puceEspace rédacteurs RSS

2003-2019 © RAForum - Tous droits réservés
Haut de page
Réalisé sous SPIP
Habillage ESCAL 4.1.4